PROIFES | Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico Técnico e Tecnológico

Comunicação

Notícias Sindicatos Federados

Não temos que ter medo da pandemia, diz Maltempi em live do SINDIEDUTEC

Publicado em : 24/02/2021

Na tarde da última terça (23) o SINDIEDUTEC transmitiu a live “Volta às aulas x segunda onda” por meio de sua página no YouTube. A transmissão contou com a participação do professor Emanuel Maltempi de Souza, presidente da Comissão de Combate e Prevenção à COVID 19 da UFPR e integrante do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da mesma Instituição.


De acordo com ele, antes de retornar às aulas presenciais ou híbridas, é necessário que se atinja um número de estabilidade que possibilite uma maior segurança aos professores e estudantes. “A situação no estado do Paraná não é das mais fáceis. Mais de 90% dos leitos estão ocupados. Há filas e pessoas que não tem leito para atendimento mais especializado. Isso é uma situação bastante preocupante”, ressaltou. Segundo o professor, esta é uma conjuntura que não favorece o retorno às aulas. “Não estamos no pior momento da pandemia mas são números altos, temos transmissão comunitária sustentada. Eu não vejo nesse momento as condições que apontem claramente para o ensino presencial. Talvez o ensino híbrido seja interessante, mas depende de uma avaliação do espaço físico. Existe também o deslocamento dos estudantes que não moram na cidade do campus, o que aumenta as chances de alta nas contaminações. É preciso também observar as condições dos sistemas de saúde”, explicou.


Souza acredita que os professores também deveriam entrar na fila prioritária da vacinação, já que os estudantes, especialmente aqueles que têm menos de 20 anos, desenvolvem contaminações com menos complicações. Mesmo assim, ele entende que deverá, ainda, haver maior investimento quando o ensino presencial ou o híbrido voltarem. “Haverá mais gastos porque tem que limpar os espaços com mais frequência, além de ser necessário aumentar a testagem, mesmo que seja o teste antígeno, que é mais rápido e mais simples. Mesmo que seja caro, é uma necessidade pra garantir a segurança, especialmente a dos alunos.”, relatou.
 

Sobre a necessidade de revezamento de alunos em modelo híbrido, o professor relatou que, na UFPR, a tônica deste debate foi o uso de laboratórios. “As disciplinas que absolutamente requerem laboratório, tipo anatomia, tiveram prioridade nesse sentido”, explicou.
 

Ao final da entrevista, Emanuel Maltempi elogiou a iniciativa do SINDIEDUTEC em procurar saber com integrantes de outras instituições para compartilhar experiências e ressaltou que não se deve temer a pandemia, e sim enfrentá-la de maneira responsável. “Quanto mais gente compartilha experiências, melhores serão as soluções. Não temos que ter medo da pandemia, mas temos que ter as armas para enfrentá-la de forma lógica e racional. Não há necessidade de paralisar a economia ou as aulas, mas precisamos chegar aos números para isso”, completou.

 

Confira a íntegra da entrevista aqui

Fonte: Ascom SINDIEDUTEC-Sindicato












Nota de repúdio à portaria 983/2020

Nota de repúdio à portaria 983/2020

 01/04/2021

O SINDIEDUTEC vem a público ressaltar o seu repúdio à portaria 983, emitida pelo MEC em novembro de 2020, por entender que a afronta à autonomia das IFES é uma afronta também aos processos democráticos livres que ocorrem dentro das [...]






GO!Sites